segunda-feira, 24 de agosto de 2020

Idosos precisam adotar cuidados especiais ao sair de casa para evitar contágio na pandemia

As pessoas acima de 60 anos possuem a maior probabilidade de manifestar sintomas agravados da Covid-19, segundo consenso entre autoridades médicas da comunidade científica internacional. A pandemia do novo coronavírus faz com que especialistas alertem para cuidados que devem ser adotados com os idosos ao saírem de casa e entrarem em contato com ambientes que podem estar contaminado pelo vírus.

Manter medidas de distanciamento e confinamento social são essenciais para diminuir as chances de contaminação entre idosos, que formam um grupo considerado de risco. Idosos acima de 80 anos podem exigir ainda mais cuidados, revela um relatório publicado na revista médica JAMA. Mais de 72 mil pacientes chineses com coronavírus foram examinados e descobriu que a taxa geral de mortalidade foi de 2,3%. No entanto, em adultos acima de 80 anos, a taxa de mortalidade chegou a 15%.

A médica Carla Perissinotto, que é professora associada da Divisão de Geriatria do Departamento de Medicina da Universidade da Califórnia-San Francisco, aconselha que consultas médicas não essenciais devem ser canceladas. No entanto, idosos tendem a ter uma saúde mais frágil e precisam de cuidados médicos com recorrência. “A ida urgente a um hospital ou mesmo a necessidade de uma consulta médica que não pode ser adiada pode ser feita de forma segura com os cuidados de um profissional neste momento”, esclarece Angelina Oliveira, enfermeira e diretora da Padrão Enfermagem Salvador, empresa especializada na intermediação de profissionais de enfermagem e cuidadores de idosos, adultos e crianças.

A Padrão Enfermagem Salvador presta serviços que vão de procedimentos pontuais, como administração de medicamentos, monitoramento de sinais vitais e testes de glicose; passando pelo acompanhamento integral com cuidadores de crianças e idosos que, além de tratar da saúde dos pacientes, auxiliam com tarefas de higiene e fazem companhia no dia a dia; até um trabalho efetivo de enfermagem e acompanhamento hospitalar para quadros de maior complexidade. Outras informações podem ser obtidas por meio do telefone (71) 99636-7676.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou o mundo em agosto para os riscos do aumento global de casos de Covid-19 entre pessoas de 20 a 40 anos. Esse aumento pode estar impulsionando o contágio do novo coronavírus para pessoas vulneráveis, como idosos. “A epidemia está mudando. Pessoas na faixa dos 20, 30 e 40 anos estão cada vez mais impulsionando a propagação. Muitos não sabem que estão infectados e com sintomas leves ou nenhum sintoma, o que pode resultar na transmissão inconsciente do vírus para outros”, enfatizou o diretor-regional da OMS Takeshi Kasai.

Entre junho e julho de 2020, pessoas com 20 a 29 anos representaram 19,5% dos casos do novo coronavírus na Europa. De janeiro a maio, maiores de 60 anos eram 40% dos infectados. “Isso aumenta os riscos de transmissão para os mais vulneráveis – os idosos, pessoas com comorbidades ou em cuidados de longa duração, além de quem vive em áreas urbanas densamente povoadas e áreas rurais com poucos serviços”, acrescentou Kasai. Idosos que vivem em cidades onde a transmissão é considerada comunitária devem tomar precauções extras, alerta infectologistas.

Adultos mais velhos precisam ficar atentos ao transitar em ambientes públicos, mas precisam ter cuidados redobrados ao se isolarem também. A diretora da Padrão Enfermagem, inclusive, aconselha às famílias com idosos a adotarem cuidados específicos caso haja necessidade de se isolar em casa. “Manter disponível um cuidador para o idoso para garantir o bem-estar nessa eventualidade é imprescindível à saúde desse familiar”, conclui Angelina Oliveira.

Precisa de um orçamento?

CONTATO